Na trilha xokleng



Publicado por: COMTUR  :  Categoria: COMTUR, Notícias de Urubici, Turismo, Urubici na Mídia

Possivelmente a localização, nos contrafortes da Serra Geral, somada ao frio extremo tenham ajudado a preservar Urubici assim, naturalmente bela, com morros forrados com o verde das araucárias e cânions vertiginosos. O fato é que o município, senão é o mais belo, com certeza integra a lista dos mais cênicos do Estado, motivo pelo qual tanta gente interessante de outras origens escolheu Urubici como casa.

A notícia boa para quem não quer ou não tem tempo hábil para encarar longas caminhadas em busca de belos visuais é que boa parte dos pontos turísticos da cidade é acessível por estradas. Entram nessa lista a Serra do Corvo Branco, com uma fenda de 90 metros de altura feita em uma rocha, a Cachoeira do Avencal, com seus 100 metros de queda livre, e a imponente formação rochosa do Morro do Campestre.

Mas como ocorre normalmente, os melhores tesouros estão escondidos. Nada tão oculto que um guia apropriado não possa conduzi-lo no passeio, que normalmente inclui uma aula sobre os antigos moradores do local, os índios Xokleng, e algumas lendas que os moradores fazem questão de manter vivas. Uma delas afirma que os míticos cavaleiros templários teriam passado por aquela região. Outra remete a tesouros enterrados na área do Morro da Igreja. As inscrições rupestres só reforçam as histórias locais. Bem visíveis, as formas geométricas e rostos teriam sido feitos em pedra há quatro mil anos.

E há várias opções de passeio na cidade. Trekking, passeios de bicicleta, cavalgadas, expedições em veículos 4×4 e travessias que duram até cinco dias são possibilidades para os visitantes mais aventureiros.

Fonte: ClicRBS 10 de julho de 2009.
 http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2574490.xml&template=3898.dwt&edition=12690&section=1594




VEJA OUTRAS NOTICIAS SEMELHANTES A ESTA:
Fatal error: Call to undefined function similar_posts() in /home/portalde/public_html/wp-content/themes/earth/single.php on line 46